O Grupo

O grupo Barcelos atua em várias áreas de negócio inter-relacionadas e, através do controlo integrado da cadeia, cria os seus próprios animais para a produção de leite e carne. Com uma área de cerca de 300 hectares, 170 vacas Holstein Frísia em produção e um núcleo de 60 vacas da raça Limousine, num total de cerca de 950 animais.

Grupo Barcelos

Francisco
Helvídio Barcelos
Maria José
Barcelos
A Pastagem
Quinta
dos Açores
Quinta
Experience

Produção de leite

A exploração de leite possui vacas da raça Holstein Frísia. Os animais são alimentados com pastagens naturais, silagem de erva, silagem de milho, feno e cereais. As ordenhas são efetuadas 2 vezes ao dia com um intervalo de 12 horas e o leite é imediatamente refrigerado de forma a garantir a melhor qualidade microbiológica.

As vitelas e novilhas são criadas nos terrenos da exploração em sistema de pastoreio e são submetidas a inseminação artificial com reprodutores de alto mérito genético aos 15 meses de idade de forma a integrar a manada aos 2 anos.

O melhoramento genético é uma das prioridades do grupo selecionando sémen de reprodutores reconhecidos e privilegiando para os emparelhamentos a longevidade das vacas e qualidade do leite.

Como resultado do melhoramento genético conquistaram-se prémios muito importantes em concursos de bovinos da Raça Holstein Frísia, onde se destacam até 2013: 9x Vaca Grande Campeã, 6x Grande Campeã Jovem, 7x Novilha Campeã, 5x Vitela Campeã, 6x Melhor Úbere, 3x Melhor Conjunto de Vacas, 8x Melhor Apresentador de Animais, 4x Melhor Vaca em Contraste, entre outros…

Ao nível da classificação morfológica dos animais também se obteve até à data 6 vacas classificadas como EXCELENTES, 32% das vacas com classificação MUITO BOM E 50% com classificação BOM MAIS

Engorda de animais

A engorda dos animais tem duas vertentes, os animais puros da raça Limousine certificados para a Carne dos Açores IGP e os animais Holstein Frísia e/ou outras raças de carne para a marca "A Pastagem".

Os animais Limousine certificados para a Carne dos Açores IGP são alimentados em pastoreio e com leite materno.

É efetuado um controlo rigoroso em toda a cadeia, que começa na identificação dos animais na exploração até ao ponto de venda, assegurando-se assim a origem da carne e a respetiva segurança alimentar.

Exportação de animais

A exportação de animais é uma atividade que teve uma importância extrema nos anos 80 e 90 permitindo o escoamento de animais vivos da Região para posterior acabamento. Nos últimos anos esta atividade tem sido transferida para a engorda e abate na Região, resultando em mais-valias para a produção e no crescimento de um produto transformado na Região.

Esta atividade abrange todas as ilhas da Região com escoamento para o Continente Português, Madeira e Espanha, entre outros.

Importação de animais

As importações de novilhas gestantes de vários países (Alemanha, Holanda, França) determinaram a base genética de trabalho das explorações na Região.

Atualmente esse melhoramento é intensificado pela inseminação artificial e transferência de embriões, selecionando-se reprodutores de mérito comprovado e efetuando o emparelhamento corretivo para melhoria da descendência.

Turismo

O grupo complementa as diferentes áreas de atuação com a animação turística como forma de aproximação ao consumidor.

"Gostamos de receber e de mostrar o que de melhor se faz na nossa terra" - com esta filosofia criou-se um percurso interpretativo da Quinta dos Açores que engloba a fábrica, o mercado, o snack e gelataria, a Casa da Mina e os terrenos das explorações agrícolas até à Serra do Morião.

Pretende-se que o visitante conheça as nossas origens e perceba a nossa história, viva emoções e experiências levando consigo a melhor recordação da Quinta…"desde o ordenhar de uma vaca, à bonita vista da cidade de Angra do Heroísmo…"